Avançar para o conteúdo principal

"O Que Penso De" Happy Ever After

A Capa:


A Sinopse:
Parker Brown turned the quartet's childhood game of Wedding Day into their dream jobs. And now she's the face of Vows--the one who meets every bride's demands; keeps every event on schedule; and brings Emma's romantic flowers, Laurel's delicious treats, and Mac's stunning photography together in one glorious package. She knows how to make dreams come true...
Mechanic Malcolm Kavanaugh loves figuring out how things work, and Parker is no exception. Both know that moving from minor flirtation to major hook-up is a serious step. Parker's business risks have always paid off, but now she'll have to take the chance of a lifetime with her heart.

A Opinião:
A saga Bride Quarter não seguiu uma linha ascendente como aconteceu na Donovan. Aqui encontramos uma linha na horizontal, talvez com a ponta da esquerda mais descaída visto que o que menos gostei foi o primeiro volume, mas o resto sempre no mesmo patamar.
Não consigo escolher qual o meu livro preferido. Se foi a história de Emma, se de Laurel ou a de Parker, mas posso dizer que a de Parker foi a mais esperada.
O que Nora Roberts tem aqui de melhor é que ela conseguiu associar um sentimento a cada história. No caso de Parker e Mal foi a sensualidade. Estes dois são fogo puro e o que gostei mais foi ver como eles se entendiam a nível fisico e emocional. Por acaso não esperava que Parker cedesse mais de si do que Mal, que parecia que era o mais "disponivel" e talvez seja por causa disto que este volume acabou por não sobressair tanto dos outros, como esperava. De qualquer forma, a maneira como eles se desafiam é viciante, tal como tem sido nos outros livros, onde nos foram deixadas pistas.
O facto de todos os casais estarem sempre envolvidos nas histórias uns dos outros também dá aquela sensação de continuidade e de ligação entre todos, o que caracteriza tão bem as séries e quando não está presente sentimos a falta. A mãe de Mal foi também uma óptima aquisição para todo o livro.
O que continuei a não gostar foi das descrições dos casamentos. No primeiro livro torna tudo rico em substância, mas depois, apesar de haver muitas diferenças, acaba por ser cansativo, e neste caso foi prejudicial, visto que o casamento que mais foi descrito, com algumas lacunas no tempo, foi o de Mac e Carter.
Achei o pormenor de Parker encontrar os vestidos perfeitos para as suas amigas fantástico. Veio salientar o sentimento perfeito, e que só conheço em livros, da amizade entre estas quatro mulheres. Sortudas!
Bride Quartet é uma das melhores quadrologias desta autora e ainda bem que a Saída de Emergência lhe pegou e publicou.

"If their relationship had stayed a surface one, the reticence wouldn‟t matter. But it hadn‟t, Parker thought, so it did. It mattered because she‟d gone past interest, swung into attraction, burst through lust, tripped over affection, and was now skidding out of control into love." pág 162

A Classificação:
5*

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Leituras de" Março

Ao contrário de Janeiro, Março começou mal com a leitura, ou desistência dela, de um livro sobre Ninfas.

Mas depois foi melhorando aos poucos. O que melhorou também foi o número de leituras, já que li mais que Janeiro e Fevereiro juntos. Mas tudo graças a Abbi Glines e a Colleen Hoover. Foi um mês de leituras fiéis a escritoras, onde me dediquei a elas.

Abbi Glines continua a fazer as minhas delícias mas ainda estou com esperanças de ler um de Colleen Hoover que me faça dar-lhe 5* e me conquiste a 100%.

As opiniões estão quase em dia, mas estou a deixar algumas para trás. Espero não me arrepender.


"No Momento em Português" Promete-me

Elizabeth Collins tinha tudo o que sempre sonhou. O emprego para o qual estudou, uma família que a adorava e um namorado que a amava. Foi com o pensamento de um futuro promissor, que o mundo da Beth desabou aos seus pés. Ela foi raptada, torturada e violada por 7 longos anos. Levada para um mundo de terror e sofrimento, foi forçada a anos de cativo, sem esperança. Mesmo tendo encontrado a sua liberdade, estará ela realmente livre? Irá ela conseguir viver num mundo onde os monstros de verdade existem? Ou será que o Alec Brenner a conseguirá salvar de seus demónios? Uma promessa foi tudo o que ela pediu. Mas não era uma promessa qualquer. Será o Alec capaz de cumprir o prometido? Mesmo que isto signifique perder a Beth para sempre?

"Aquisições" Agosto

Este post andava perdido por aqui